Como capital de giro e estoque estão relacionados?

O capital de giro e estoque da sua empresa estão diretamente relacionados, entenda como:

O capital de giro e seu gerenciamento eficiente são pontos primordiais para o bom funcionamento de uma empresa. Por isso, deve ser pensado e planejado no momento em que são realizadas entradas no estoque e nas saídas.

Mas o que são os conceitos de capital de giro e estoque e também liquidez, e como eles se relacionam entre si?

capital de giro e estoque

Capital de giro

Podemos entender como capital de giro todos os recursos que, de alguma forma, são direta ou indiretamente destinados a suprir as necessidades financeiras de uma empresa quando esta realiza sua atividade comercial. Outra maneira de abordar o tema é por meio da ciência contábil, que compreende capital de giro como o ativo circulante de uma empresa, ou seja, dinheiro em caixa, dinheiro no banco, duplicatas a receber com prazo inferior a doze meses, estoque etc.

Estoque

O estoque diz respeito não somente ao produto comercializado pela empresa, mas também à matéria-prima utilizada na produção desse produto e aqueles que se encontram em processo de produção.

Liquidez

Por liquidez entende-se a facilidade para transformar algo em dinheiro, sendo o próprio dinheiro o máximo de liquidez possível.

Uma vez que bem compreendidos esses 3 conceitos, podemos entender melhor suas relações.

Capital de giro e estoque

O capital de giro é uma questão central de uma empresa, pois é ele que garante o seu funcionamento. Mais que isso, além de gerir de maneira eficiente o capital de giro, é preciso estar atento à sua liquidez. Afinal, uma empresa possui gastos diários e recorrentes e, sendo assim, quanto maior for a participação de capital próprio e menor a participação de capital de terceiros — o que possui custos extras envolvidos —, melhor para a organização na busca pelo seu objetivo final: o lucro.

Dessa forma, podemos compreender algumas questões como, por exemplo, o excesso de estoque. É verdade que, por vezes, podemos conseguir bons descontos ao comprar em grande quantidade. Mas é preciso ficar sempre atento ao impacto total dessa transação. Qual será o resultado dessa compra em seu capital de giro e em sua liquidez?

Estoque em excesso

É importante realizar uma análise dos recursos financeiros que você possui e dos gastos que você terá até eventualmente transformar esse estoque adquirido em dinheiro. Se a liquidez imediata de seu capital de giro for severamente afetada levando em consideração quais são seus custos operacionais, isso pode significar que você precisará de capital de terceiros para operar ao menos em curto prazo, agregando um custo que diminuirá ou anulará o benefício do desconto conseguido por comprar em grande quantidade.

Além disso, vale lembrar que estoque em excesso também sempre representa aumento de custos com manutenção e armazenamento. Além da perda de valor de mercado de mercadoria parada. Por outro lado, estoque em falta representa queda de receitas. Dessa forma, um acompanhamento rígido e diário, de forma a mantê-lo num nível operacional eficiente, é muito importante.

Pagamentos à vista e a prazo

Por fim, destacamos dois pontos sobre entrada e saída de estoque. Primeiramente, ao contrário do que pareça, possuir muito dinheiro em caixa pode representar algo ruim e um desperdício à empresa. Nesses casos, é preciso procurar programar a reposição de seu estoque sempre com pagamentos à vista. Pois dessa maneira, você pagará menos por uma quantidade maior de mercadoria.

Além disso, vender somente à vista é perder clientela. É importante conceder prazo para pagamento sempre que necessário. Entretanto, você deve se lembrar de que, se você está financiando alguém, é preciso financiar a si mesmo ou recorrer a terceiros para tal, o que faz com que seja necessário estar atento ao prazo concedido e a situação de seu capital de giro se sua intenção é aumentá-lo no futuro.